Fisioterapia Pélvica e a Ginástica Hipopressiva










A fisioterapia pélvica é uma especialidade que busca fortalecer a região do assoalho pélvico, bem como prevenir doenças. O método pode ser indicado a casos como de incontinência urinária ou menopausa, mas é recomendado principalmente às gestantes – já que é capaz de evitar a incidência de traumas durante o parto.

Outra vantagem da fisioterapia pélvica diz respeito à vida sexual da mulher. É que, além de preparar o corpo para o parto, a técnica ainda aumenta a lubrificação e sensibilidade no canal vaginal.

Os músculos do assoalho pélvico (MAP) apresentam função de sustentar os órgãos pélvicos e manter as funções fisiológicas de armazenamento e eliminação dos produtos de excreção da bexiga e do reto. O levantador do ânus é um dos principais músculos do assoalho pélvico, sendo inervado pelo nervo pudendo e composto por fibras estriadas dos tipos I e II. O risco de disfunções do assoalho pélvico como incontinência urinária, incontinência fecal e prolapsos genitais aumenta quando os MAP perdem sua integridade.

No começo e no final dos exercícios, o profissional de fisioterapia pélvica deve utilizar a escala visual analógica (EVA) de dor e a escala subjetiva para o bem-estar. Com base nos resultados, ele poderá recomendar a atividade mais apropriada e quantificar a melhora da paciente após uma intervenção.

O tratamento fisioterápico para o fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico (MAP) consiste na cinesioterapia. Mais de um terço das mulheres não consegue contrair corretamente sua MAP, simplesmente por não saberem onde ela e se localiza e como fazer para contraí-la (o que chamamos dificuldade proprioceptiva).

A ginástica hipopressiva é excelente para o treinamento da MAP deste tipo de mulher, porque ela tem a propriedade de movimentar a MAP sem a necessidade de uma contração consciente (por vontade própria). Como citamos, a MAP vem "de carona" junto com os órgãos que são elevados pela manobra. Aplicada para o tratamento de disfunções pélvicas, a ginástica hipopressiva é praticada em três fases:

1 – inspiração diafragmática lenta e profunda;

2 – expiração completa;

3 – aspiração diafragmática com contração dos músculos abdominais profundos, intercostais e elevação das cúpulas diafragmáticas

Seu objetivo é reduzir a pressão intra-abdominal fortalecendo a musculatura interna do abdômen, além de fortalecer o períneo e reduzir a compressão dos discos vertebrais na região lombar.

Além de servir como um excelente exercício para treinar a contração da MAP e dos abdominais, e mais do que isso, treinar a dissociação (contração isolada de cada musculatura) dessas duas contrações, estudos recentes vêm mostrando que a ginástica hipopressiva tem apresentado resultados na melhoria de prolapsos genitais dos mais diversos graus, como forma de reeducação e reposicionamento ativo dos órgãos pélvicos.

A ginástica hipopressiva é eficiente para diversos tratamentos como combater e tratar a incontinência urinária, tratar dores nas costas, lombalgias e melhorar a postura, melhorar o funcionamento do intestino, auxiliar na recuperação pós parto e melhorar a aparência do abdômen através do fortalecimento dos músculos e da diminuição da circunferência da cintura.





Capacite-se em assuntos para atender melhor os pacientes:
  • Aprenda Kinesio Tapping Online
  • Cintura Pélvica: Principais alterações posturais e possíveis correções X estética do glúteo
  • Liberação Miofascial Instrumental MioBlaster (IASTM) + Ventosas

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.