Prevenção da Incontinência Urinária








O que é Incontinência Urinária - Centro de Urologia

A incontinência urinária abala a qualidade de vida ao afastar o doente do convívio social.  

O problema atinge principalmente mulheres após a menopausa e gestantes. Um estudo brasileiro demonstrou que 35% das mulheres após a menopausa sofrem de incontinência urinária ao fazer algum esforço. “Outro dado importante é que até 40% das mulheres gestantes vão apresentar um ou mais episódios de incontinência urinária durante a gestação ou logo após o parto. Vários fatores podem desencadear este problema, como por exemplo, alterações hormonais durante a gestação, enfraquecimento das estruturas ligamentares da pelve e aumento da pressão no abdome, gerada pelo crescimento e posição do feto

Tipos de incontinência: 
  • a de esforço: quando há perda de urina ao tossir, rir, fazer exercício, etc.
  • a de urgência: ocorre quando há súbita vontade de urinar e a pessoa não consegue chegar a tempo ao banheiro.
  • a mista: associação os dois tipos anteriores.
Pode-se diminuir suas chances de desenvolver incontinência urinária.  A prevenção à doença se dá com administração de exercícios para o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico. O exercício consiste na contração do assoalho pélvico por 10 segundos e o relaxamento por 10 segundos. O movimento deve ser repetido 10 vezes por, pelo menos, três vezes ao dia. Estes músculos são importantes para o controle da micção.

Fazer exercicios para o assoalho pélvico (exercícios de Kegel) para fortalecer os músculos pélvicos. Os exercícios de Kegel podem ser  realizados durante a viagem, no trabalho ou em momentos aleatórios durante o dia. Ninguém saberá que você está fazendo os exercícios, assim você pode repeti-los com frequência. Procure um profissional para que ele possa te orientar sobre esses exercícios.


Outra técnica envolve a utilização de um exercício de ponderação que o cone é inserido na vagina. Você deve contrair os músculos pélvicos para evitar o cone de cair fora da vagina. Um conjunto de cones idênticos em tamanho e forma, mas de maior peso são fornecidos. Como o tratamento progride, cones mais pesados são usados que exigem contrações maiores para mantê-los no lugar.

Mantenha-se em um peso saudável - A redução de peso em obesos promove melhora da incontinência urinária, devido à menor pressão abdominal que é exercida sobre a bexiga e assoalho pélvico. Portanto, mantenha uma alimentação rica em frutas, legumes, fibras e evite consumo excessivo de café, alimentos industrializados e bebidas alcoólicas.

Parar de fumar -  Fumar provoca tosse, que pode tornar mais difícil de controlar sua urina. Parar de fumar faz tossir melhor.


Entenda a situação – A incontinência urinária pode ser classificada em três tipos, portanto, é importante saber em qual situação a perda de urina ocorre. Um dos tipos é a incontinência urinária de esforço, que acontece quando há a perda de urina ao rir, tossir e fazer exercício, por exemplo. Outro tipo é a de urgência, quando acontece uma súbita vontade de urinar e não é possível chegar a tempo ao banheiro. Já o terceiro tipo caracteriza-se como mista, resultando na associação dos dois tipos anteriores.


Bexiga hiperativa

Outra causa para a incontinência urinária é a bexiga hiperativa. Esta pode ser a causa da urgência para urinar e, em alguns casos, pode estar associada à contração involuntária da bexiga em momentos inapropriados, o que causa a perda da urina. Estima-se que 18% da população adulta no Brasil sofra de bexiga hiperativa.

Neste caso, a fisioterapia e o uso de medicamentos via oral também podem ser eficazes. Nos casos nos quais os tratamentos conservadores não funcionam, ainda existe a possibilidade de implantar um aparelho capaz de estimular eletricamente os nervos da pelve, ou então administrar toxina botulínica diretamente no músculo da bexiga. As opções de tratamento são bem diversificadas.

Publicado em 08/04/10 e revisado em 05/05/20





Capacite-se em assuntos para atender melhor os pacientes:
  • Aprenda Kinesio Tapping Online
  • Cintura Pélvica: Principais alterações posturais e possíveis correções X estética do glúteo
  • Liberação Miofascial Instrumental MioBlaster (IASTM) + Ventosas

  • Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

    Quer anunciar neste blog?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

    Quer sugerir uma pauta?
    Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

    Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.