Papanicolau aumenta chance de cura de câncer de colo do útero


>




Fazer exames regulares de Papanicolau pode salvar a vida de milhares de mulheres com câncer de colo do útero ou câncer cervical, aponta um estudo publicado na versão online do periódico British Medical Journal (BMJ). A análise feita por pesquisadores do Centre for Research and Development da Uppsala University, na Suécia, envolveu 1.230 mulheres acompanhadas durante oito anos após o diagnóstico da doença.

Parte delas descobriu o problema por meio de um exame de Papanicolau e parte por meio de sintomas, como sangramento vaginal anormal, dor durante a relação e corrimento anormal. Os resultados mostraram que a taxa de sobrevivência de mulheres com câncer de colo do útero detectado pelo exame era de 92%, enquanto que aquelas que foram diagnosticadas pelo sintoma apresentavam uma taxa de sobrevivência de 66%. Além disso, mulheres curadas apresentavam risco de mortalidade igual ao daquelas de mesma idade que não tiveram câncer.

Segundo os autores do estudo, por meio do Papanicolau é possível detectar cancros em fase precoce, o que torna o tratamento mais simples e com melhor prognóstico. Durante o teste, o médico raspa células do colo do útero e as envia a um laboratório para verificar mudanças potencialmente cancerosas ou pré-cancerosas. Ele deve ser feito a partir dos 21 anos ou após iniciar a vida sexual.

Peixe ajuda a reduzir risco de câncer de colo do útero

O público feminino tem um motivo a mais para incluir peixe no cardápio - um estudo da Escola de Medicina da Universidade Vanderbilt (EUA) associou o consumo de ácidos graxos ômega 3, provenientes de peixes, à redução do risco de desenvolver pólipos adenomatosos no cólon, um tipo que pode se tornar canceroso. Pólipos são crescimentos anormais na mucosa do cólon que podem se tornar um tumor.

A pesquisa incluiu 5.307 pacientes de colonoscopia, sendo 60% do sexo masculino, durante um período de sete anos. Desse grupo, 2.141 participantes possuíam pólipos no cólon e 3.166 pessoas ficaram no grupo de controle, sem apresentar qualquer tipo de pólipo ao longo do período.

Todos os pacientes responderam questionários sobre os seus hábitos alimentares e histórico médico. Dados como idade, raça, índice de massa corporal, tabagismo e outros fatores também foram considerados. No final, os estudiosos descobriram que as mulheres que consumiam três ou mais porções de peixe por semana estavam 33% menos propensas a ter pólipos adenomatosos.

O consumo de ômega 3 não teve efeito sobre os homens nem mesmo no aparecimento de pólipos hiperplásicos, tipo que costuma ser benigno. Os pesquisadores afirmam que o poder anti-inflamatório do ômega 3, abundante em peixes, é o responsável por reduzir os riscos de câncer.

Papanicolau aumenta chance de cura de câncer de colo do útero Papanicolau aumenta chance de cura de câncer de colo do útero Revisado by Faça Fisioterapia on 11:25 Nota: 5