C ada ciclo da vida tem suas características e requer atenção especial em alguns pontos. Essa tese é...

Cuidados com a saúde íntima da mulher dos 20 aos 60 anos


 
 


Cada ciclo da vida tem suas características e requer atenção especial em alguns pontos. Essa tese é ainda mais importante quando falamos da saúde íntima da mulher. É necessário visitar periodicamente o ginecologista e fazer os exames solicitados afim de prevenir qualquer problema futuro.

Ao longo dos anos a saúde íntima sofre diversas alterações, seja pelo estilo de vida e/ou pela idade da mulher. Portanto, é imprescindível fazer consultas e exames regulares não só para prevenir ameaças, como também para contornar desequilíbrios que, mesmo precoces, podem não manifestar sintomas", ressalta.

Para manter a saúde íntima em dia, saiba dos principais cuidados que a mulher deve ter em cada fase da vida.

20 anos – A partir dos 20 anos é importante evitar o uso de roupas muito justas e de tecidos grossos. Quanto às calcinhas, priorize as de algodão e coloque para secar sempre em um ambiente fresco e seco. Nessa fase é necessário a realização de ultrassom pélvico e das mamas, pois eles ajudam na identificação precoce de alterações, como cistos nos ovários, ovários policísticos, endometriose, nódulos mamários, entre outros problemas. Para a mulher que já teve a primeira relação sexual, é necessário realizar o ultrassom pélvico transvaginal e, sobretudo, o Papanicolau, que detecta vários problemas, como o câncer de colo de útero e anormalidades causadas pelo HPV.

30 anos – Durante essa fase a mulher deve ter cuidado especial com o sistema reprodutivo, pois aumenta a incidência de câncer de mama e do colo do útero. São repetidos os exames feitos na faixa dos 20 anos, mas novos testes são adicionados, como mamografia, para aquelas que possuem histórico na família, e radiografia de tórax, indicada para fumantes.

40 anos – Nessa faixa etária começa a preocupação com a menopausa, que pode resultar na diminuição da produção dos hormônios femininos, pois torna-se comum secura vaginal, sendo necessário avaliar a necessidade e indicação de cremes com ação estrogênica.

Além dos exames indicados para os 20 e 30 anos, a mamografia passa a ser obrigatória independente de histórico familiar. Também é importante acrescentar uma avaliação cardiológica, uma vez que ocorrem alterações hormonais que podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

60 anos – Os exames são os mesmos, o que muda é a frequência em que são realizados. Cuidados com a osteoporose devem ser intensificados, sendo monitoramento pela densitometria óssea. Os demais exames, laboratoriais, ultrassonografia, mamografia, colonoscopia, também não podem deixar de ser realizados.

  Escolher uma atividade física para chamar de sua é al...

A mulher e atividades físicas ideais para cada idade


  Atividade física faz bem para o corpo e para a mente, basta escolher a mais adequada para você

Escolher uma atividade física para chamar de sua é algo bastante pessoal. O ideal é encontrar aquela que faça bem para o corpo e também para a mente, ou seja, que seja algo prazeroso e divertido, ou será difícil mantê-la na rotina.

As academias oferecem cada vez mais e mais opções de aulas e pode até ser complicado saber por qual atividade física optar no meio de tanta coisa. Uma dica é seguir as necessidades do corpo de acordo com a faixa etária. Uma adolescente ou jovem mulher pode se sentir mais à vontade em uma aula vigorosa, já aquelas com mais de 50 anos devem se preocupar em dar uma ênfase a preservação de músculos e tecidos para o bem-estar. 

Para saber mais detalhes, Gisele Almeida, líder técnica da rede de academias Bluefit, monta uma lista de atividades de acordo com a idade da mulher. Tem sugestão desde a adolescente de 12 anos até a mulher com mais de 50. 

Dos 12 aos 19 anos

Esse é o momento que a mulher torna o exercício um hábito. Além disso, ela ressalta que praticar uma atividade ajuda a jovem a conhecer melhor o corpo, que ainda está em desenvolvimento, e isso pode contribuir para a autoestima e também para entender e acompanhar as mudanças hormonais dessa fase. 

A sugestão é procurar atividades divertidas e também aquelas de alto gasto calórico, já que não falta energia aos adolescentes. Algumas opções são: 

  • Aulas de damças
  • Atividades aeróbicas (caminhada, corrida)
  • Lutas (muay thai e jiu jitsu)

Dos 20 aos 29 anos

Aqui já estamos falando de mulheres adultas, que geralmente precisam conciliar o tempo na academia com outras atividades, como o trabalho e cuidados com a família. Por isso, vale uma atividade que além de cuidar do corpo, ajude a revigorar as energias ou seja uma válvula de escape para as tensões do dia a dia. 

É nessa fase que as mulheres estão mais preocupadas em como entrar em forma, portanto aulas e exercícios que queimem bastante calorias e ainda ajudem a definir o corpo, como o muay thai, são bem-vindas. 

Veja algumas sugestões da especialista para quem está na casa dos 20 anos de acordo com diferentes objetivos: 

    • Musculação: é um clássico e excelente opção para definir e conquistar o corpo malhado. Também é uma atividade interessante quando o assunto é aumentar a massa óssea, fator importante para quem está pensando em ser mãe em breve e também para evitar problemas que chegam com o avançar da idade, como a osteoporose.
    • Corrida: indicado para quem busca condicionamento físico e emagrecimento.
    • Pilates ou alongamento: são atividades que ajudama relaxar e trazem sensação de bem-estar. Além disso, também propiciam benefícios para o corpo, como melhora na postura, fortalecimento do core e prevenção de lesões.
    • Aulas de ginástica: a lista é grande e você pode escolher práticas como j ump, HIIT,  funcional ou danças. Aulas em grupo são animadas e um aluno incentiva o outro a não desistir.
    • Lutas: aulas de muay thai e jiu-jitsu também fazem  sucesso as  mulheres. As lutas geralmente representam alto gasto calórico, ou seja, ajudam a emagrecer e melhoram condicionamento físico, e ainda servem como uma forma de aliviar o estresse.

    Dos 30 aos 39 anos

    A necessidade e os objetivos seguem parecidos com a faixa etária anterior, mas agora ainda há mais chances de termos mulheres já com filhos e também ainda mais estressadas com as cobranças do trabalho.

    As atividades do item anterior seguem como sugestões, e Gisele ainda completa, afirmando que a musculação nessa fase auxilia também no combate à flacidez, que pode já começar a incomodar, além de ajudar na prevenção de males como osteoporose, artrose, diabetes e hipertensão. A lista de sugestões fica assim: 

    • Aulas de ginástica
    • Lutas
    • Musculação
    • Atividades aeróbicas (caminhada, corrida)

    Dos 40 aos 49 anos

    A idade já avançou um pouco mais e chega a hora de cuidar do corpo não apenas pensando na parte estética, mas também olhando cada vez para a saúde. Nesta fase, o organismo já começa a passar por uma desaceleração metabólica e a atividade física ajuda a manter a disposição do dia a dia, o bom funcionamento do organismo, a autoestima e a qualidade dos movimentos.

    Vale apostar em: 

    • Atividade física aeróbica (caminhada, corrida)
    • Musculação
    • Ginástica (treino de abdominal, treinamento funcional)
    • Alongamento
    • Pilates

    Acima dos 50 anos

    A lista de atividades segue a mesma da anterior, mas é preciso se preocupar ainda mais com os sinais da idade no corpo. Será preciso cada vez mais um reforço na musculação, já que há uma desaceleração metabólica e também perda de massa muscular nesta idade. 

    O treinamento adequado vai ajudar a chegar à terceira idade com mais disposição e tamb;em mais qualidade nos movimentos, por isso o treino funcional, que simula movimentos comuns do dia a dia, como subir e descer escadas, é tão interessante até aqui. 

    É importante manter a atividade física depois dos 50, dos 60... 

    Atividade física na TPM e na menstruação

    Durante boa parte da vida, as mulheres ainda têm de lidar com o período pré-menstrual, a TPM e a menstruação em si. Segundo Gisele, a atividade física também pode ajudar nesses momentos. 

    Especialistas defendem que a atividade física leve e a moderada contribuem para o alívio de dores como cólicas e outros incômodos. Você pode optar por caminhada, treinos de bicicleta ou alongamento. Muitas vezes, bate um cansaço a mais nesse período, mas segundo a profissional da BlueFit, vale buscar energia extra e se dedicar a uma atividade que logo conseguirá notar os benefícios no corpo. Até um treino leve de musculação pode ajudar. 

    Faça Fisioterapia