Escherichia coli (E.coli) é o nome da bactéria responsável por 80% das infecções urinárias, cujo tratamento é feito com antibióticos, sob ...

Dicas para evitar a cistite


http://www.abc.med.br/fmfiles/index.asp/::places::/abcmed/Cistite.-Como-ela-ocorre-2.jpg

Escherichia coli (E.coli) é o nome da bactéria responsável por 80% das infecções urinárias, cujo tratamento é feito com antibióticos, sob orientação médica. A realidade, porém, é que após alguns episódios de infecção urinária, a mulher se automedica, tendo como agravante o fato de que a exposição rotineira aos antibióticos causa resistência bacteriana e não previne o problema. Ao mesmo tempo, o tratamento só funciona enquanto a paciente está sob efeito de remédios e a infecção pode voltar pouco tempo depois de terminado o tratamento.

Porem há algumas dicas que se pode seguir para a prevenção. Veja:

- Beba bastante líquido (pelo menos 1 litro ao dia). Para prevenir as cistites recidivantes, experimente sucos (250 ml ao dia) de plantas com bagas (arando vermelho, cranberry) pois estes são bastante eficazes.

-
Lute contra a fadiga e o estresse, pois ambos podem ser responsáveis pelo aparecimento da cistite, através do enfraquecimento do sistema imunológico. Você pode tomar fortificantes e vitaminas para fortalecer o sistema imunológico.

Aumente suas defesas imunológicas, através da sauna, por exemplo, e de uma alimentação saudável, composta de frutas que são ricas em vitaminas (evite as frutas cítricas,) ou probióticos ( iogurtes, lactobacilos, ...).
Você pode também tomar remédios à base de equinácea, vitamina C ou medicamentos imunoestimulantes à base de extratos de germes, como a bactéria E.Coli, para reforçar o sistema imunológico.

- Utilize roupas quentes no inverno, evite roupas íntimas muito apertadas, curtas ou sintéticas (dê preferência às confecções em algodão). As jovens devem tomar cuidado com a moda da barriga à mostra no inverno, pois o frio fragiliza o sistema imunológico, sendo assim, o risco de obter uma cistite aumenta.

- Troque regularmente suas roupas íntimas para evitar o aparecimento de agentes infecciosos.

- Trate e previna qualquer problema de prisão de ventre o quanto antes, pois esta pode favorecer a fermentação intestinal que por sua vez, poderá levar a uma propagação das bactérias em direção às vias urinárias.

Urine sempre que tiver vontade, não é aconselhável "segurar o xixi", pois neste caso os germes podem se proliferar mais facilmente.

- Tenha uma boa higiene íntima. O uso de sabonetes ou cosméticos muito fortes pode favorecer a entrada de agentes infecciosos.

- Em algumas mulheres, após as primeiras relações sexuais, pode sobrar alguns restos do hímen, que impedem uma boa evacuação da urina e podem provocar cistites. Devido a isso, algumas mulheres conseguem observar uma redução e até mesmo a interrupção das cistites após o nascimento do primeiro filho.  Para isso, o parto deve ser normal, pois isso ajudará a evacuar de maneira natural os restos do hímen. Em alguns casos, o médico poderá propor uma cirurgia para retirar estes restos.

- Respeite os conselhos de higiene no banheiro, as mulheres devem se limpar de frente para trás, em direção ao ânus, para evitar a contaminação das vias urinárias por agentes infecciosos fecais.

- As relações sexuais podem, às vezes, favorecer o aparecimento de cistites, portanto é aconselhado beber antes da relação e urinar (esvaziar a bexiga) logo depois, já que isso permite a eliminação de determinados germes que podem provocar uma cistite.

- Evite as jacuzzi (elas podem estar infectadas por inúmeros germes)

- Se você está na menopausa, deve saber que a secura vaginal sintomática desta pode favorecer as infecções urinárias. Converse com o seu médico para agir de forma preventiva, se for o caso.

- Evite o uso de absorventes externos, especialmente entre as mulheres com cistite de repetição. Prefira os internos.


Sob o novo título Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher , mais adequado à abrangência do seu conteúdo, esta edição contou com aprimora...

Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher


Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher

Sob o novo título Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher, mais adequado à abrangência do seu conteúdo, esta edição contou com aprimoramentos que não se limitaram ao novo formato gráfico. O texto foi totalmente atualizado e a organização do conteúdo foi reformulada, tornando a obra mais coesa. Além disso, mais sete capítulos foram agregados e todas as ilustrações, refeitas.

Saiba mais sobre esse livro

Informações Técnicas
Título Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher
Editora Guanabara Koogan
ISBN 9788527721042
Páginas 444
Edição 5
Tipo de capa Brochura
Ano 2012
Assunto Medicina E Saude-Fisioterapia
Idioma Português
Código de Barras 9788527721042

A fisioterapia obstetrícia objetiva auxiliar a futura mãe em estabelecer a segurança física no processo que vai da gravidez até o part...

Conheça mais a Fisioterapia na Obstetrícia


http://3.bp.blogspot.com/-wI8aXV52qeI/UPwE_pfqiyI/AAAAAAAAAEc/-_6PAzekl4A/s400/Fisioterapia-Obstetricia.jpg

A fisioterapia obstetrícia objetiva auxiliar a futura mãe em estabelecer a segurança física no processo que vai da gravidez até o parto. Esse último será grandiosamente beneficiado com o tratamento, levando em conta que todos os exercícios propostos pelo profissional fisioterapeuta devem ser seguidos pela mulher durante a gravidez.

Parceiro

Como benefício imediato, a fisioterapia obstetrícia promove a redução imediata dos desconfortos durante a gravidez, bem como os sintomas dolorosos. Outro fator importante a lembrar é que esses exercícios podem promover a elevação da alto-estima da mulher grávida e uma melhor interação entre seu corpo e sua personalidade. A recuperação no pós-parto também é facilitada se os exercícios forem corretamente praticados.

Em atividade desde 2012, o Grupo de Atendimento de Fisioterapia Preventiva em Saúde da Mulher da Universidade de...

Fisioterapia preventiva em saúde da mulher



Pessoas procuram cuidados especiais durante a gestação (Foto: Divulgação)

Em atividade desde 2012, o Grupo de Atendimento de Fisioterapia Preventiva em Saúde da Mulher da Universidade de Sorocaba (Uniso) tem demonstrado ser um projeto de extensão universitária de sucesso. Já atendeu a dezenas de pessoas, que procuram cuidados especiais durante a gestação, na fase de mudanças fisiológicas e também na terceira idade.

Segundo quem atua no grupo, durante a vida, a mulher percorre diferentes etapas e junto a elas apresentam-se modificações fisiológicas, anatômicas, emocionais e psicossociais. Entre essas, destacam-se a gestação, o climatério (transição do período reprodutivo para o não reprodutivo) e a terceira idade. A atividade física durante a gestação, por exemplo, proporciona menor probabilidade de complicações durante o parto e melhor recuperação pós-parto, o que produz uma sensação de bem-estar e um melhor relacionamento entre mãe e bebê.

O projeto de extensão tem caráter preventivo, com objetivo de alcançar o equilíbrio corporal diante das manifestações fisiológicas de cada um destes períodos, por meio de exercício físico realizado em grupo.

Os encontros podem acontecer uma ou duas vezes por semana, a depender das necessidades de cada grupo de pessoas atendidas, na Cidade Universitária (com exceção de mulheres idosas, cujo atendimento é realizado na Universidade da Terceira Idade).

As atividades são realizadas de forma dinâmica, envolvem alongamento e fortalecimento muscular, exercícios aeróbicos e demais atividades. As sessões são finalizadas com técnicas respiratórias e de relaxamento corporal.

O projeto já atendeu, até 2014, 68 mulheres (das quais oito gestantes, cinco climatéricas e 55 idosas).  As participantes relatam maior disposição para atividade física, fortalecimento dos ossos, mais saúde e bem-estar, além de melhorias no processo fisiológico.

Neste ano, o grupo foi tema de estudo das alunas Andréia Cristina de Oliveira Silva, Karine Hitomi Nagamine, Mayara do Amaral Barreto e Lilian Pinto Amaral, sob orientação da professora Aline Alcoforado dos Santos Gasparini.

Faça Fisioterapia