Fisioterapia é aliada de quem busca a reeducação perineal


>




Pouca gente deve saber, mas problemas como incontinência urinária e fecal, prolapsos de bexiga (bexiga caída) e disfunções sexuais podem ser tratados e acompanhados pela fisioterapia. A fisioterapia uroginecológica é responsável por tratar e prevenir esses tipos de distúrbios pélvicos e ainda auxiliar na preparação para o parto e na recuperação do pós-parto.

A fisioterapeuta Amanda Herrero explica que o objetivo é trabalhar a reeducação perineal. O períneo é um músculo que tem a função de reforço e sustentação dos órgãos pélvicos, como o útero, ovários, bexiga e reto. "Na reeducação perineal buscamos desenvolver a consciência do corpo e do períneo, assim como também aumentar a força desta musculatura, para trazer todas essas estruturas para cima, para manter os órgãos no lugar adequado."

Segundo Herrero, alterações uroginecológicas podem estar relacionadas à queda de hormônios, ocasionadas pela idade, contração inversa do períneo, desuso da musculatura e diminuição na produção de colágeno dos ligamentos responsáveis por sustentar a bexiga. Dos problemas citados, a incontinência urinária é uma das alterações mais frequentes e se caracteriza pela perda de urina sem que a pessoa tenha controle.

No caso da incontinência por esforço, a bexiga perde pressão interna, impossibilitando a uretra de manter-se fechada. Pequenos esforços como tossir, espirrar e subir escadas levam à perda de urina. Há também a incontinência urinária de urgência, quando a pessoa não consegue segurar a urina na bexiga e não é possível chegar a tempo ao banheiro.

Alini Cardoso, também especialista em fisioterapia uroginecológica, comenta que as mulheres procuram mais que os homens pelo tratamento de incontinência urinária, já que nelas o problema é mais frequente. "O homem tem a uretra mais comprida. Ele é mais protegido do que a mulher para perder urina. A mulher não, a uretra dela é pequena e a gente tem o peso do útero sobre a bexiga. Ao entrar na menopausa o hormônio cai bruscamente e a flacidez aumenta", destaca.

As atividades de fortalecimento e resistência do assoalho pélvico também são recomendadas para homens que passaram por prostatectomia (cirurgia na próstata); crianças com dificuldade miccional (seguram a urina) ou aquelas que fazem "xixi" na cama. A fisioterapia uroginecológica auxilia ainda no tratamento de pessoas com disfunções intestinais, que sofrem de intestino preso ou solto.

Prazer sexual
A perda de prazer sexual é outro problema que pode ser tratado pela reeducação perineal. Com a técnica do pompoarismo a mulher desenvolve a coordenação e controle da musculatura do períneo. A fisioterapeuta Amanda Herrero explica que quando o períneo é estimulado de forma correta, a circulação sanguínea do local aumenta. Com isso, a resposta ao ato sexual é maior e a mulher sente mais prazer. "Ela vai ter aumento da produção de hormônio ovariano, então vai aumentar a libido. Vai melhorar a autoestima e muito."
Fisioterapia é aliada de quem busca a reeducação perineal Fisioterapia é aliada de quem busca a reeducação perineal Revisado by Faça Fisioterapia on 14:24 Nota: 5