Outra forma de ganho muscular pode ser feita através da estimulação elétrica com o uso de dispositivos cutâneos, endo-anais. Eletrodos coloc...

Eletroestimulacao no tratamento de incontinencia urinaria


Outra forma de ganho muscular pode ser feita através da estimulação elétrica com o uso de dispositivos cutâneos, endo-anais. Eletrodos colocados no períneo por via percutânea, entre outros, promovem um aumento na resistência esfincteriana e redução na contração detrusora (estimulação dos nervos pudendo e pélvico).

O mecanismo preciso de ação da eletroestimulação em humanos ainda não está comprovado, embora tenha sido demonstrado que o estímulo sensório que segue
pelo nervo pudendo pode inibir a atividade do detrusor em homens. Muitos especialistas acreditam que nenhuma forma de estimulação elétrica implantada consiga, através da estimulação dos nervos aferentes pudendo, pelo percurso eferente, causar a contração da musculatura pélvica estriada. Há uma inibição da atividade inapropriada do detrusor, embora o mecanismo aferente ainda não tenha sido esclarecido.

Existe um consenso de que a ação da musculatura estriada é capaz de promover a inibição do detrusor neste contexto. Todavia, os dados que suportam esta hipótese permanecem incompletos.14, 15A estimulação crônica fortalece a musculatura estriada  e a hipertrofia, as fibras de contração rápida e lenta. Acredita-se que a eletroestimulação é uma terapia neuromoduladora a qual afeta os sinais neurais que controlam a incontinência, porém isso é alcançado apenas pela estimulação crônica.

Não há relatos de morbidade significante dessa forma de terapia. Efeitos colaterais que são comuns com tratamento medicamentoso não acompanham este tratamento, porém alguns pacientes relatam algum desconforto ou irritação local. Pacientes com marcapasso (ou outros implantes elétricos) devem considerar métodos alternativos de tratamento, baseados teoricamente nos riscos elétricos. No entanto, não há nenhuma análise econômica dessa terapia. Sabe-se que, nos Estados Unidos, estes estimuladores são muito caros, portanto eles não têm muita popularidade entre os especialistas que tratam a incontinência.

Wille et al.16 avaliaram os efeitos dos exercícios para a musculatura pélvica, eletroestimulação e biofeedback na incontinência urinária após a prostatectomia radical
randomizando 139 pacientes em três grupos que realizariam respectivamente cinesioterapia, cinesioterapia mais biofeedback e cinesioterapia, biofeedback e eletroestimulação. Foi verificado que as  diferenças entre os grupos não eram estatisticamente significantes. Portanto conclui-se que os tratamentos com eletroestimulação e biofeedback contribuem para redução dos sintomas urinários, mas não otimizam os efeitos dos exercícios na reabilitação da incontinência.

Fonte


O autoexame mensal pode ajudar a identificar mudanças ou anormalidadades nos seios de forma precoce, o que aumenta as chances de sucesso ...

Saiba como fazer o autoexame das mamas


O autoexame mensal pode ajudar a identificar mudanças ou anormalidadades nos seios de forma precoce, o que aumenta as chances de sucesso em qualquer tratamento para qualquer que seja o problema detectado.

A Sociedade Americana do Câncer oferece as seguintes orientações para fazer o autoexame:

1) Deite em uma superfície confortável e plana (pode ser na cama ou até mesmo sobre um tapete de ioga) e coloque o braço direito atrás da cabeça

2) Com os três dedos do meio da mão esquerda faça pequenos movimentos circulares na mama direita, em busca de qualquer anormalidade

3) Alterne esses movimentos usando uma pressão de dedos leve, média e firme

4) Continue o exame passando os três dedos de cima para baixo, fazendo linhas imaginárias por todo o seio, para ter certeza de que está examinando toda a superfície da mama, a área do peito e o interior do braço

5) Repita o exame na mama esquerda, colocando o braço esquerdo atrás da cabeça e fazendo os movimentos com os três dedos médios da mão direita

6) Em pé, examine os seios no espelho, levantando os braços para examinar as axilas e a parte de dentro dos braços

7) Procure por qualquer mudança no tamanho, no formato ou na cor da pele, incluindo vermelhidão, escamações ou ondulações

8) Caso perceba alguma característica que fuja do normal, marque uma consulta com o ginecologista e informe-o sobre as alterações observadas

A eficácia da fisioterapia nesta área tem muitas evidências práticas e científicas comprovadas de bons resultados. Uma avaliação inic...

Fisioterapia na incontinéncia urinária


A eficácia da fisioterapia nesta área tem muitas evidências práticas e científicas comprovadas de bons resultados.

Uma avaliação inicial é necessária para a programação do tratamento a ser realizado. 

Os recursos que podem ser utilizados são:

CINESIOTERAPIA – tratamento através de exercícios para aumento de força e elasticidade muscular. Esta técnica contribui para melhora da percepção corporal, ajuste postural e melhora do padrão respiratório.

CONES VAGINAIS – são pesos graduados, de forma e volumes iguais (parecido com tampões), que são inseridos na vagina. A paciente realiza uma contração resistida para não deixá-los escapar e, conseqüentemente, aumenta a força dos músculos do períneo. Esse é o princípio do pompoarismo.

ELETROESTIMULAÇÃO – através de correntes elétricas, são realizadas contrações repetidas dos músculos do períneo. A intensidade é ajustada individualmente e os estímulos são delicados e totalmente tolerados pelas pacientes.

Todos materiais são de uso individual, descartáveis ou corretamente desinfetados e esterilizados.

A incontinência urinária, por ser considerada um assunto íntimo e constrangedor, muitas vezes não é relatada ao(à) médico(a). Isso impossibilita ou atrasa o diagnóstico, impedindo que se encontre uma solução satisfatória mais rapidamente.

A adesão do paciente ao tratamento depende da sua compreensão sobre a doença, seus tratamentos e resultados.

Ao superar este problema, bastante complexo, por envolver aspectos físicos, sociais e psicológicos, uma melhor qualidade de vida será assegurada.

Faça Fisioterapia